A EVOLUÇÃO DO PRONTUÁRIO ELETRÔNICO

A UTIL acredita que a tecnologia traz organização e eficiência à saúde. Movida pela inovação.

São Paulo é o maior polo de start-ups da América Latina

Deixe um comentário

O Global Ecosystem Ranking de 2015 coloca São Paulo em 12° lugar em um ranking de cidades que favorecem o desenvolvimento de companhias start-ups de tecnologia, melhor (e única) posição na América Latina.  O ranking é compilado pela Compass, um desenvolvedor de software.

Quesitos como performance, alcance de mercado, disponibilidade de capital, talento e capacidade de exportação de startups internacionalmente nortearam a análise dos diferentes ecossistemas.  SP, especificamente, pontuou alto na disponibilidade de capital, performance e alcance.  Veja o ranking:

blog pic19.2

O ranking apresenta outras conclusões interessantes:

  • A fator globalização é chave, uma vez que 37% dos investimentos às start-ups (nos 20 ecossistemas monitorados) foram feitos por empresas/fundos localizados em outros países;
  • Entre 2012-4:
    • Nova York, Austin, Bangalore e Cingapura apresentaram as maiores melhorias nas condições para promoção do empreendedorismo;
    • Toronto, SIdney, Vancouver e Seattle apresentaram as maiores quedas no ranking;
  • A taxa de sucesso dos investidores está em alta: houve um crescimento de 78% a.a. (entre 2012-4) no número de saída bem sucedidas de uma empresa; isso indica que investidores estão, em grande parte, conseguindo lucrar em cima de suas participações.  Nesse quesito, porém, São Paulo não tem destaque.

Também é importante ressaltar que a disponibilidade de capital em si é alta: somente entre 2013-4, aportes privados cresceram em ~95%, com destaque específico para a Berlim (com um crescimento de 12x no período).

A grande verdade é que o empreendedor paulistano faz milagres para conseguir que a cidade figure em listas como essa.  Com uma estrutura administrativa-financeira além de burocrática imposta pelo governo, o empreendedor brasileiro precisa “fazer acontecer” de uma forma ou outra; aínda mais quando trata-se de uma start-up, frequentemente caracterizada pela baixa liquidez e disposição para grandes investimentos auto-financiados.  Sendo assim, as tendências descritas no artigo são de grande importância.

Veja o artigo original aqui.

Autor: UTIL Healthcare

m-Health startup

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s